Manejo otimizado

Os erros mais comuns na aferição da espessura de toucinho com ultrassom

Tempo de leitura: 1 minuto

A busca por carcaças com menos gordura e mais massa magra (carne) é uma realidade dos grandes abatedouros e frigoríficos no país, muitos dos quais já deixaram de comprar suínos com base no peso vivo, e passaram a adquirir carcaças cujo preço por quilo varia em função do percentual de carne que elas contêm. Nesse sentido, a avaliação da espessura de toucinho em suínos vivos se faz fundamental, principalmente na implementação de programas de melhoramento genético, uma vez que a herdabilidade dessa característica é alta. Além disso, o uso da espessura de toucinho como avaliação complementar da condição corporal em porcas reprodutoras também é uma ferramenta de manejo importante e que exige experiência. Em comparação a outros métodos como a régua metálica, o uso de aparelhos de ultra-som reduz em cerca de 80% o tempo necessário para essa aferição, mas alguns erros simples devem ser evitados para garantir a PRECISÃO dos resultados. Veja aqui alguns deles:

1) FLUIDO DE CONTATO
A causa mais comum de aferições imprecisas é a quantidade insuficiente de fluido de contato entre a probe e a pele animal. Deve-se saturar a pele do animal com gel ou óleo de parafina no local onde a probe será posicionada, de modo a garantir contato total entre elas.

2) ANGULAÇÃO DA PROBE E BOLHAS
A probe deve ser posicionada sempre perpendicular ao dorso do animal. Muitos erros podem ocorrer quando existe uma angulação da mesma durante a aferição. Além disso, em casos de dificuldade na leitura, geralmente existe mau contato entre a extremidade da probe e a pele. Nesses casos, deve-se eliminar possíveis bolhas pressionando a probe com firmeza, e adicionar mais fluido de contato sempre que necessário. O contato total com a pele e a posição perpendicular contra o dorso são fundamentais para a obtenção de leituras comparativas.

3) LOCAL DE AFERIÇÃO NO ANIMAL
O local de maior acurácia para a aferição da espessura de toucinho é o ponto B representado na imagem abaixo. Para encontrá-lo, deve-se palpar o flanco do animal em direção à última costela, e ao encontrá-la, posicionar a probe a uma distância de 6,5cm da coluna vertebral (de qualquer um dos lados).

Pontos para aferição da espessura de toucinho

É importante lembrar que os valores de espessura de toucinho obtidos in vivo geralmente são inferiores (cerca de 10%) aos resultados obtidos no frigorífico. Isso se deve aos locais de aferição serem um pouco diferentes, e ás próprias distorções da carcaça após o abate.

Quer receber mais informações e dicas de manejo por e-mail? Siga nossas redes sociais e inscreva-se na newsletter!    

Voltar à página de posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.