Biossegurança

Não aguenta mais apagar fogo na granja?

Não aguenta mais apagar fogo na granja-Entao esse texto é pra voce

O bordão “prevenir é melhor que remediar” continua sendo verdade, mas quando falamos de produção animal isso é muito fácil de falar e difícil de implementar! Em sua maioria, gerentes técnicos e veterinários acabam dando muito mais assistência a surtos de doenças que aparecem nas granjas, do que tendo tempo para trabalhar com consistência nos protocolos de biossegurança.

Quando esses programas são seguidos à risca, os resultados produtivos são melhores, e o potencial dos profissionais técnicos é muito melhor aproveitado, simplesmente porque eles conseguem auditar e melhorar cada vez mais as atividades preventivas.

Nós podemos citar aqui “N” questões que fazem diferença na biosseguridade, desde o tipo de desinfetante utilizado nas baias e equipamentos, até o local correto para se fazer a aplicação de raticidas e mosquicidas. No entanto, esse assunto é tão longo que decidimos diluir nos próximos posts, assim falamos melhor de cada um deles! A mensagem principal aqui hoje é: se você quer parar de ser pego de surpreso com surtos na granja e se prevenir contra a contaminação cruzada e aparecimento de novas doenças, a solução é uma só (e não tem outra!): HIGIENE!

A higiene tem que ser o seu principal foco em qualquer atividade na granja. Trabalhar com higiene envolve controlar o fluxo de pessoas, a higiene pessoal de funcionários e visitantes (lavagem de mãos, roupas, banhos, etc.), a desinfecção de equipamentos, o uso de materiais descartáveis, a presença de roedores e moscas, a qualidade da água de bebida dos animais, a eficiência da limpeza e desinfecção das baias, e muitos outros aspectos.

Fique atento aos próximos posts, estaremos falando sobre tudo isso aos poucos para contribuir com o setor e te ajudar a ter menos surpresas e mais resultado!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *