Manejo otimizado

Arrancada de leitões na creche – A conta fecha?

Arrancada de leitões na creche - A conta fecha?

Tempo de leitura: 2 minutos

Em momentos de alta da suinocultura, os investimentos em infra-estrutura, construção de novos galpões, suplementação, e outros, acabam acontecendo pela oportunidade do mercado. Com um olhar que vai além das exportações e projeta ganhos no mercado interno, muitos produtores optam por iniciar ou retomar a suplementação dos leitões em maternidade e creche. No entanto, o retorno de investimento, especialmente nos casos de leitões desmamados abaixo do peso, é o que deixa dúvidas. Será que a conta fecha? O que podemos afirmar em relação a isso é que a conta fecha sim (e muito) mas é preciso ajustar o manejo para isso.

  1. GANHO DE PESO NAS PRIMEIRAS SEMANAS DE CRECHE E TEMPO PARA ATINGIR O PESO DE ABATE
    Já é sabido que o ganho de peso nas primeiras semanas de creche faz toda a diferença no desempenho animal nas fases seguintes, portanto a suplementação com lácteos nesse período para atingir o máximo GPD (ganho de peso diário) possível, irá favorecer que na recria e terminação esse animal demore menos tempo para atingir o peso final de abate.  Isso significa que ele consumirá menos ração de terminação, igualando-se ao porte de seus companheiros de lote muito mais rápido do que os leitões não suplementados. Um estudo de Tokach et al, em 1992 fez (já naquela época) uma análise entre diferentes GPDs na primeira semana após o desmame, e a performance subsequente desses animais. O resultado? Os leitões que obtiveram GPD acima de 227g nos primeiros 7 dias após o desmame atingiram seu peso de abate cerca de 10 dias mais cedo do que aqueles cujo GPD foi igual ou inferior a zero nessa primeira semana. A famosa “arrancada” que se dá nos leitões na primeira semana de creche vai trazer retorno na fase final, quando esse animal estiver convertendo melhor e poupando dias de terminação.
  2. QUALIDADE DO SUPLEMENTO LÁCTEO
    Um outro fator que naturalmente influencia os resultados é a qualidade do suplemento lácteo utilizado. Para se preparar o trato gastrointestinal dos leitões para a dieta sólida , os lácteos utilizados devem manter uma proporção balanceada de proteína vegetal, amido, e lactose. A biodisponibilidade desses nutrientes também terá papel fundamental na absorção pelo animal, e isso varia conforme a qualidade das matérias primas e do processo de produção de cada marca.

    Quer saber mais sobre esse tema? Acesse nossa página sobre Suplementação e Recuperação de Leitões.
Voltar à página de posts

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.